Uma síntese

Download PDF

Graças ao bom Deus, hoje há mais pessoas interessadas em buscar uma melhor qualidade de vida, não importando de quando é o momento para esse despertar.

Qualquer tempo está em tempo certo. Uma das combinações sempre recomendadas, por profissionais e entidades que velam e zelam pelos cuidados de saúde das populações pode estar simplificada em dois pontos basilares: boa alimentação e fuga do sedentarismo.

Estes dois pilares compreendem no primeiro: respeito aos hábitos alimentares saudáveis, com controle dos excessos de ingesta de açúcares e sódio, (sal); outros são aditivos e conservantes,  dos quais é preciso estar atento; nos industrializados – para consumo direto – é muito frequente a presença dessas substâncias que, a longo prazo, conduzem a uma desorganização  de nosso organismo, levando a uma acostumação e verdadeira dependência. Aqui o grupo de maior destaque são os refrigerantes gaseificados, as colas e outros! Já no segundo pilar está: o combate (ou num termo mais pacífico) – a fuga do sedentarismo – que já indica em si movimento, o que é preciso. Mesmo que não seja uma obrigação rigorosa na frequência e tempo, pode ser também mais tímida, o que sempre trará benefícios. Encontrei uma simplificação desses benefícios que convido a ler.

caminhar2Caminhar faz bem para o corpo e para a mente

A caminhada é um dos exercícios mais fáceis de ser praticado, pois não exige habilidade, o custo é baixo, pode ser praticada a qualquer hora do dia e em qualquer lugar, além disso não tem restrição de idade e traz vários benefícios para o corpo e para a mente. Conheça alguns deles:

  1. Melhora a circulação
  2. Afasta a depressão
  3. Mantém o peso em equilíbrio e emagrece
  4. Deixa o pulmão mais eficiente
  5. Combate a oeteoporose
  6. Aumenta a sensação de bem-estar
  7. Controla a vontade de comer
  8. Protege contra derrames e infartos
  9. Deixa o cérebro mais saudável
  10. Diminui a sonolência
  11. Diminui o risco de diabetes

caminhando2

Obs: Estes destaque encontrei-os simplificados num blog de fabricantes de tintas Anjo !

 

 

Download PDF

recomendações de especialistas

Download PDF

Trago aqui para informação de todos os praticantes e para aqueles que estão ainda por cumprir lista de intenções de começo de ano. Que se animem e o façam. Estes textos encontram-se na edição on line de Veja http://veja.abril.com.br/

São textos de especialistas interessados no bem estar de quem quer manter-se ativo. Um deles tira algumas dúvidas com explicações sobre o desconforto que incomoda a muitos que começam reiniciam atividade física.

Agora é Verão no nosso país, é preciso ir ao sol e captar mais energia e calibrar o estoque da vitamina D tão necessaria, leiam estes bons e instrutivos textos.

Atestado médico: luxo ou necessidade?

(Foto: Thinkstock)

Foi promulgada recentemente em São Paulo uma lei que isenta as academias de exigir apresentação do atestado médico de seus alunos. Em lugar do exame, o praticante terá apenas que responder a um questionário (Par-Q) sobre seu estado de saúde.

Apesar de entender que a obrigatoriedade do atestado médico possa ser um obstáculo para alguns praticantes, honestamente não vejo como iniciar um programa de atividade física sem que haja uma avaliação médica.

O PAR-Q é um questionário confiável?

Alguns colegas da área da saúde argumentam que o PAR-Q é um questionário confiável, que serve para uma pré-avaliação daqueles que realmente precisam de avaliação médica. Será?

Uma revisão sobre o PAR-Q, publicado pela Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, entende que não, ou seja, a ferramenta possui baixo grau de confiabilidade. Eu também sou cético quanto a este instrumento, dado sua alta subjetividade. E há pessoas que não tem muita sensibilidade ao corpo, sem falar naqueles que omitem informações justamente para não serem “reprovados”. Por último, há diferenças muito importantes quanto às restrições e cuidados para diferentes grupos de praticantes, como nos grupos exemplificados abaixo:

  • – Hipertensos (muitos nem sabem que apresentam hipertensão);
  • – Obesos;
  • – Diabéticos

Todos nós sabemos da importância de um acompanhamento médico e da repetição de exames clínicos, pelo menos anualmente. Então não haveria problema, se todos adotassem essa prática. Ou será trabalhoso demais realizar uma avaliação médica anual?

Revisão: Questionário de Prontidão para Atividade Física (PAR-Q) Physical Activity Readiness Questionnaire (PAR-Q)
 
Fonte: – Leonardo Gomes de Oliveira Luz, Paulo de Tarso Veras Farinatti. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício – Volume 4 Número 1 – janeiro/dezembro, p.43-48,  2005.

Por Renato Dutra

Cãibras: é possível evitá-las?

(Foto: Thinkstock)

Um fenômeno que atinge entre 30 e 50% dos esportistas e praticantes ocasionais de atividades físicas, a cãibra é uma contração muscular involuntária e que causa dor. Em boa parte dos casos, ela ocorre em decorrência do exercício e impede o indivíduo de continuar na atividade. Quem já não assistiu a um jogador de futebol cair no chão durante uma partida, por exemplo? Sim, a cãibra ocorre até mesmo em atletas profissionais, cuja condição física é bem acima da média.

Mas afinal, é possível evitá-las? Para responder a essa pergunta, é preciso antes entender melhor a cãibra.

Onde ela é mais frequente?

A região mais atingida pelas cãibras é a das panturrilhas, seguidas pelos pés e pelos músculos posteriores da coxa.

Qual a sua causa?

É comum atribuir o fenômeno à desidratação e/ou perda de eletrólitos (sódio, potássio, etc.). Não há, porém, comprovação científica disso. Estudos indicam que o histórico familiar, episódios anteriores de cãibra, aumento da intensidade ou duração do exercício ou condicionamento inadequado para praticar a atividade estão associados à ocorrência das cãibras. Apesar de não haver evidências acerca da desidratação e perda de eletrólitos, esse quadro provavelmente aumenta o risco. Muitos maratonistas e triatletas, por exemplo, sofrem o problema no terço final das provas, justamente quando já perderam muita água e minerais através do suor.

Como preveni-las?

Uma revisão publicada em janeiro de 2013 no Exercise and Sports Sciences Reviews, mostra que o principal mecanismo desencadeador da cãibra é a fadiga. Então o melhor “remédio” para preveni-la encontra-se em:

– Estar bem preparado para realizar suas atividades físicas;

– Evitar entrar em exaustão, um quadro que eleva consideravelmente a chance de desenvolver cãibras.

Parece bem fácil evitá-las, certo? Portanto, procure orientação profissional para evitar exageros durante os exercícios. É a melhor forma de escapar do quadro.

Fonte: MINETTO, M.A., A. HOLOBAR, A. BOTTER, and D. FARINA. Origin and development of muscle cramps. Exerc. Sport Sci.Rev., Vol. 41, No. 1, pp. 3Y10, 2013.

Por Renato Dutra

Download PDF

Ganhando saúde na hora do lazer

Download PDF

Há estudos que comprovam o benefício que advem de unir alguma atividade física no momento de lazer pode acrescentar até 7 anos na longevidade. Esta noticia vem postada na edição da revista Veja.com em 07 de novembro 2012. Pesquisadores da Universidade de Harvard e Instituto Nacional de Saúde, USA, demonstram isto.

A partida para o estudo foi a constatação que tanto nos paises desenvolvidos como naqueles em desenvolvimento observa-se uma acentudada diminuição da prática de atividade física. Compararam vários trabalhos em que identificam a vantagem que têm aquelas pessoas, mesmo obesas, mas ativas. Estas ganham mais tempo de vida em relação àquelas mesmo de peso normal, porém inativas.

Entendem como atividade física de lazer aquelas que não são obrigatórias, nem em horários determinados, mas aquelas feitas conforme a vontade do indivíduo. Os exercícios de lazer considerados foram aqueles de moderado a vigoroso esforço.

Concluiram que além da rotina diária, 75 minutos de caminhada semanal pode prolongar a vida. Isto pode estimular aqueles que são inativos a terem uma atitude, mesmo que não contribua muito na redução do peso. Ainda concluiram que a falta de pelo menos a atividade física de lazer combinada com inatividade é associada à diminuição da espectativa de vida.

As atividades de esporte amador , as caminhadas ou corridas ao ar livre, passeio de bicicleta, isto tudo ajuda. O esforço, no entanto, deve ser de moderado a vigoroso.

artigo original publicado em PLoS Medicine

euatleta materia treino (Foto: Editoria de Arte / GLOBOESPORTE.COM)

Download PDF

Para mim foi surpresa

Download PDF

Todos temos noção que o exercício físico é bom em qualquer fase. A minha surpresa foi grande quando encontrei notícia trazida pelo noticioso Extra online, extraida do “European hearth journal”  pesquisas de universidade em Liverpool, realizadas recente, concluem que camundongos submetidos à pratica rotineira de exercício físicos durante duas semanas induziu ao aumento de até 60% de células tronco cardíacas, que antes adormecidas, com o exercício “despertaram”  – cardiomiócitos.

O cardiologista Cláudio Domênico, citado na noticia, não só confirma, como tambem  afirma : “Esta pesquisa vem reforçar aquela teoria de que exercício é o medicamento mais barato e acessível de todos ” .

Outra constatação ali contida – “Chefe da cirurgia clínica da Clínica São Vicente, Ricardo Miguel Francisco ressalta que a prática de execícios por doentes cardíacos deve ser feita com acompanhamento médico.

— A reabilitação cardíaca é feita em ambiente médico, num centro de reabilitação. Ele começa a fazer exercícios programados e paralelamente tem a comprovação da parte clínica, como do ecocardiograma, de que o coração está melhorando — explica o médico, que lembra que pacientes em fila de transplantes cardíacos que começam a praticar exercícios chegam a não precisar mais da cirurgia.”

Notícia realmente esperançosa. Afinal a cura, a recuperação está em nós mesmos.

Fica sempre o alerta, para qualquer decisão: de esforço físico ou atividade, buscar orientação do seu médico do coração, ou de medicina esportiva.

Afugente os medos, mexa-se. Até o coração pode se renovar!

<br /><br />Prejuízos causados por doenças do coração poderiam ser recuperados com 30 minutos por dia de corrida ou ciclismo<br /><br />Foto: Agência O Globo / Márcia Foletto

MárcFhttp://oglobo.bo.com/in/6642311-336-901/FT500A/2012-535719105-2012071821890.jpg_20120718.jpg

Download PDF